Entenda a importância das regras de ergonomia no trabalho!

Entenda a importância das regras de ergonomia no trabalho!

Erros no informe de rendimentos e imposto de renda: como resolver com o meu empregador?
10 de abril de 2018
O que é preciso saber antes de contratar um advogado trabalhista?
O que é preciso saber antes de contratar um advogado trabalhista?
10 de abril de 2018
Exibir tudo

Entenda a importância das regras de ergonomia no trabalho!

Entenda a importância das regras de ergonomia no trabalho!

A origem da ergonomia não pode ser definida com total precisão. Sua principal causa foi o surgimento de problemas operacionais físicos, fisiológicos e mentais entre trabalhadores que sofrem com a pressão do mundo contemporâneo. O avanço tecnológico dos últimos séculos é outro fator que contribui para tal quadro.

A ergonomia no trabalho tem o objetivo de assegurar um ambiente mais saudável, que propicie qualidade de vida e bem-estar ao empregado. Neste post, falaremos sobre como isso é possível. Acompanhe!

O significado de ergonomia

O termo “ergonomia” deriva das palavras gregas “ergon” (“trabalho”) e “nomos” (“regras” ou “normas”). Trata-se, portanto, do estudo do relacionamento entre o homem e seu ambiente de trabalho.

Ele parte da aplicação de conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia nesse ambiente, também conhecida como “engenharia dos fatores humanos”, e pode ser classificado como ergonomia cognitiva e ergonomia organizacional.

A ergonomia cognitiva também é conhecida como engenharia psicológica e está voltada para um conjunto de processos mentais, como atenção e percepção. Já a ergonomia organizacional tem como função desenvolver processos de organização e otimização das condições e das relações de trabalho.

Os benefícios da ergonomia no trabalho

A ergonomia visa ao desenvolvimento e à aplicação de técnicas adequadas de adaptação do homem a seu ambiente de trabalho. A prática regular de métodos ergonômicos aumenta a produtividade e a eficiência dos trabalhadores. Mas, por outro lado, reduz o número de afastamentos e de acidentes de trabalho.

Investir em ergonomia, portanto, significa cuidar da qualidade de vida dos trabalhadores. Tanto o empregador quanto o empregado devem ter conhecimento da importância do bem-estar e da segurança no trabalho, que favorecem sua saúde e a qualidade do serviço.

Práticas comuns

A adoção de um mobiliário e de equipamentos adequados é essencial para garantir o conforto. Passar horas na mesma posição pode trazer problemas à coluna: portanto, o funcionário deve sempre acomodar-se de forma confortável e relaxada.

Também é preciso respeitar uma carga horária adequada. O excesso de horas extras pode levar ao esgotamento físico e mental, comprometendo a produtividade.

É recomendado fazer pausas adequadas para refeições e ao longo do dia. A parada para o almoço deve ser de, pelo menos, 15 minutos. Também é necessário haver intervalos curtos de alongamento e descanso no decorrer do expediente.

Regulamentação

No Brasil, o Ministério do Trabalho editou a Portaria n.3.751, instituindo a Norma Regulamentadora NR-17, que trata especificamente da ergonomia. O objetivo é estabelecer paradigmas, de modo a proporcionar segurança e conforto ao trabalhador. Essa norma despertou o interesse pela ergonomia no meio empresarial e trabalhista.

O Ministério do Trabalho recomenda que o funcionário permaneça atento à sua rotina. Se, por acaso, ele acredita que passou (ou está passando) por uma situação de risco, deve relatar as observações para a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

A ergonomia e a segurança do trabalho

A ergonomia e as doenças ocupacionais estão intimamente relacionadas. Além de gerar ausência e baixa produtividade, elas podem ocasionar futuras demandas trabalhistas e previdenciárias. As maiores doenças provenientes do trabalho ocorrem devido à exposição ao risco ergonômico pela qual passam os trabalhadores.

Dessa forma, a Legislação Trabalhista e Previdenciária, junto à Ergonomia, é extremamente importante para a proteção do trabalhador. A identificação da origem do problema do funcionário e de sua relação com a atividade laboral desenvolvida é de fundamental relevância para o perito judicial.

As empresas que pretendem sobreviver no mercado precisam desenvolver uma estrutura adequada e direcionada à ergonomia de seus funcionários no trabalho.

Agora você já conhece um pouco mais sobre a ergonomia no trabalho! Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário com sua pergunta ou sugestão!

Vanessa De Andrade Pinto
Vanessa De Andrade Pinto
Advogada Sócia Diretora Pós- graduação em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Faculdade Legale; Possui Certificados dos seguintes Cursos de extensão: As Reformas Processuais Incidentes nos Recursos Trabalhistas; Audiências Trabalhistas; Cálculos Trabalhistas; Audiência Trabalhistas Técnicas e Postura do Advogado; Reflexos da reforma processual Civil no Processo do Trabalho; Direito Empresarial; Direito Tributário; Mediação e Arbitragem TASP; Redução da Maioridade Penal; Tributação no Setor de Serviços; Com atuação comprovada em âmbito Nacional, patrocinando mais de 5000 processos em todos os estados da federação.
Open chat
Precisa de um advogado? Entre em contato